Introdução à etologia

Palestrante: Claude François Béguin

No mundo animal, comportamentos específicos são resultado da evolução da espécie e podem ser determinados geneticamente. Este foi um dos temas abordados pelo professor-doutor Claude François Béguin, etólogo suíço, em palestra ministrada na sede administrativa do Museu da Amazônia. Na primeiraparte, ele apresentou os conceitos básicos da etologia (estudo do comportamento dos animais).

Ex-professor do Departamento de Estado de Educação de Genebra, Suíça, Claude François Béguin exerceu, entre outras funções, a de sócio da Organização Europeia de Biologia Molecular (EMBO)  e pesquisador associado ao Laboratório de Bioquímica da Universidade de Genebra e do Laboratório de Aprendizagem Europeia para as Ciências da Vida (ELLS).

Durante a palestra, o prof. Claude citou como exemplo de comportamentos herdados geneticamente as orelhas dos cavalos (para frente ou para trás, conforme a atitude do animal), o pescoço espichado dos filhotes de pássaros à espera de comida, a dança do macho para seduzir a fêmea. “São unidades básicas do comportamento”, explicou.

Falou, ainda, sobre a simetria da dança das abelhas em formato de “8” no trajeto da colmeia para o local de abastecimento de comida. “O número de voltas é inversamente proporcional à distância do ponto de abastecimento”, detalhou. Segundo o cientista, o comportamento dos animais está relacionado a estímulo (em forma de som, cheiro, forma ou luz) ou motivação (fome, instinto sexual).

Estudos de comportamento podem ser medidos por ferramentas como o etograma, listagem dos principais elementos e sua frequência relativa. Béguin citou, ainda, estudos de Niko Tinbergen, Nobel de Medicina em 1973, que dividiu o estudo do comportamento em quatro perguntas básicas: qual a história filogenética de um comportamento; quais os mecanismos que causam diretamente um comportamento; como um comportamento aparece e se desenvolve e qual a função de um comportamento.

Confira o vídeo que demonstra o comportamento de patos recém-nascidos diante de objetos que produzem sons e movimento semelhantes a seus pais. Trata-se de uma experiência de demonstração do comportamento por impregnação (mediante exposição de uma figura que se torna familiar por meio do contato).