Muitas espécies de aranhas possuem características que as fazem parecerem formigas, é o que chamamos de mimetismo. Espécies miméticas possuem características que as assemelham com outras espécies, como por exemplo forma do corpo, comportamento e coloração. A maioria das espécies de aranhas que mimetizam formigas não se alimenta desses animais, mas sim sua semelhança lhes garante a proteção de predadores que evitam formigas devido às características nocivas das mesmas. Contudo, a aranha Aphantochilus rogersi, visualizada dia 30 de outubro de 2014 no Museu da Amazônia, é diferente! Esta espécie se alimenta exclusivamente de formigas do gênero Cephalotes, utilizando seu mimetismo não apenas como proteção, mas também para obter sucesso na captura das formigas para alimentação.

Embora a aranha seja uma eficiente predadora, as formigas possuem armas químicas e um comportamento cooperativo em defesa da colônia. Sendo assim, para que a aranha capture suas presas com segurança é preciso uma ótima habilidade de disfarce. Um fato interessante é que, ao se aproximar da formiga, a A. rogersi sobrepõe o primeiro par de pernas sobre o segundo, aparentando possuir apenas seis pernas, como as formigas. Após a captura de uma formiga, a aranha usa o corpo da vítima como um escudo para se proteger do ataque de outras formigas, até que consiga finalmente chegar a um lugar seguro.

Existem poucas informações na literatura científica quanto ao comportamento materno e a alimentação dos filhotes das aranhas A. rogersi. Sabe-se que a mãe defende ativamente seu ninho contra intrusos, já que estas vivem próximas aos ninhos das formigas. Ela vigia constantemente seus ovos e defende agressivamente seus filhotes, chutando os visitantes indesejados com as patas dianteiras ou até mesmo matando-os com suas quelíceras. Conforme podemos observar no vídeo, após o nascimento os filhotes permanecem agregados e sob os cuidados da mãe.

Texto Breenda Frazão, Fernanda Meirelles e Jefferson Telles / Musa • 05/11/2014