Preguiça_62456_ex

No dia 11 de novembro observamos na Trilha Central (Verde) do Musa uma preguiça-de-bentinho! Pertencente à família Bradypodidae a preguiça que podemos visualizar na foto é uma fêmea da espécie Bradypus tridactylus. Recebe esse nome pois possui três garras nas patas dianteiras e traseiras. Vivem sozinhas sobre a copa das árvores e são ótimas nadadoras. Sua pelagem fica coberta por algas, o que a torna parecida com a vegetação das árvores e a mantém camuflada.

Sua grande língua e lábios grossos tornam sua boca extremamente adaptada para a alimentação de folhas, principalmente de embaúbas, ingazeiras e figueiras. A preguiça nunca bebe água! Ela sacia sua sede ingerindo apenas as gostas de orvalho que ficam sobre as folhas e com a água presente na própria folhagem que come. Pesquisadores observaram que durante a seca da floresta Amazônica, as preguiças-de-bentinho descem das árvores e cavam um buraco com a cauda para defecarJá no período chuvoso, defecam na copa das árvores.

São animais muitos dorminhocos, que chegam a repousar mais de 18 horas por dia. Locomovem-se aproximadamente 38 metros diariamente, sendo mais ativa durante a noite. O olfato da preguiça-de-bentinho é muito potente e detecta até mesmo os galhos podres, impedindo que ela se apoie neles e ajudando a escolher os caminhos seguros.  Com ótima flexibilidade, conseguem virar o pescoço até 330° e enrolar o corpo até ficarem parecidas com uma bola. Ao contrario do restante dos mamíferos, quando a temperatura esfria a preguiça fica ainda mais lenta e a temperatura do seu corpo diminui. Já nós humanos e outros mamíferos mantemos a temperatura corpórea constante e até trememos para produzir calor.

17/11/2014