As formigas são insetos sociais pertencentes à ordem Hymenoptera, assim como as vespas e as abelhas. Com os cupins, insetos sociais da ordem Isoptera, as formigas representam um terço da biomassa animal da floresta amazônica.

As formigas-cortadeiras ou saúvas (Atta sexdens) são abundantes na América Central e do Sul, onde são encontradas principalmente na borda da floresta ou ao longo das áreas desmatadas.

São chamadas de cortadeiras por apresentarem o hábito de cortar folhas e levá-las ao formigueiro. Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, essas formigas não se alimentam dessas folhas. Como são incapazes de digerir a celulose das folhas, estas elas servem apenas como substrato para o crescimento de um fungo (dentro do ninho) que, este sim, servirá de alimento para elas.

As formigas-cortadeiras apresentam uma complexa organização social e um sofisticado sistema de divisão de tarefas, uma depende da outra para sobreviver. Os fragmentos de folhas são cortados diretamente na árvore, ou no solo após o corte da folha inteira. Mesmo se uma única formiga puder cortar fragmentos e transportá-los até o ninho, o trabalho é muitas vezes compartilhado, principalmente quando o corte ocorre no chão.

As cortadeiras vivem em enormes cidades subterrâneas que podem atingir até
8 metros de profundidade. A sociedade é dividida em castas, ou seja, nela existem formigas de diferentes tamanhos e que possuem funções específicas.

A rainha, também chamada de tanajura, é a maior e tem como função, além de manter o formigueiro vivo e comandar a organização dentro do ninho, colocar ovos por toda a vida. É a única fértil da colônia.

Os machos, também chamados de bitus, são alados e servem unicamente para reprodução.

Os soldados têm a função de proteger o ninho.

As forrageiras ou cortadeiras, são as que cortam as folhas e as transportam para dentro do ninho.

As generalistas trabalham dentro do formigueiro cortando em partes menores as folhas trazidas, levando-as até o fungo e se encarregando ainda de limpar o ninho, descartando para a lixeira formigas mortas ou fungo inutilizado.

As enfermeiras são as que cuidam da rainha e alimentam as larvas.

A colônia cresce até um certo número de habitantes, a partir do qual recursos são desviados para produzir rainhas virgens e machos.

A reprodução ocorre em meados de novembro. Os machos são os primeiros a saírem do ninho e as fêmeas aladas, as novas rainhas, vêm logo em seguida. A cópula ocorre durante o voo nupcial e a rainha pode interagir com mais de um macho. Em seguida, os machos morrem e as rainhas descem ao solo, arrancam suas asas e cada uma começa a cavar um buraco para dar início a uma nova colônia. Elas trazem consigo um pedaço de fungo de seu ninho de origem que servirá de alimento para as larvas que nascerão até que elas se tornem adultas e comecem a forragear, ou seja, buscar por substrato (folhas).

Texto Claude Béguin e Jefferson Telles • 05/12/2014

Vídeo relacionado:
Formigas-cortadeiras ou saúvas (Atta sexdens)