A agrossilvicultura (sistemas agroflorestais):
conceito, possibilidades, dificuldades

Palestrante: Johanes van Leeuwen (INPA)

A integração de árvores na agricultura é um meio aparentemente simples para melhorar a sustentabilidade da agricultura. Desde a década de oitenta esta técnica antiga vem sendo promovida mundialmente. Na Amazônia, instalaram-se belos Sistemas Agroflorestais (SAFs), compostos por muitas espécies. Infelizmente esses SAFs mostraram-se pequenas ilhas “ecologicamente corretas”, corpos estranhos no oceano das monoculturas agrícolas. SAFs com um carro-chefe econômico, como cacau ou citros, tiveram mais sucesso. Para na Amazônia promover a agrossilvicultura é fundamental: (1) entender o funcionamento da “pequena” propriedade para saber onde, como e quando vai ser possível encaixar árvores; (2) ter “variedades” melhoradas das espécies de interesse como pupunha, açaí, tucumã, castanha, uxi, piquiá e abiu.

Johannes van Leeuwen tem mestrado (1969) da Universidade Agrária de Wageningen, Holanda, no qual combinou Silvicultura Tropical, Melhoramento Vegetal, Sociologia Rural da Zona Tropical e Estatística. Trabalhou em Moçambique, Cuba, Tunísia e Holanda, e participou de missões para Guiné-Bissau, Zâmbia, o Nordeste do Brasil e a Terra Indígena Alto Rio Negro. Desde 1988 é pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), onde coordena o Núcleo Agroflorestal.