NA?o podia ser mais abrangente o tema da primeira exposiA�A?o do Musa (2010-2012). Na extensA?o de mais de dezA�quilA?metros do encontro das A?guas pretas do rio Negro e das barrentas do SolimA�es vivemA�animais, plantas, pessoas, e repousam, parte ainda inexplorada, vestA�gios das civilizaA�A�es queA�povoaram essa parte da AmazA?nia. Como o homem costuma fazer ao longo dos sA�culos noA�desenvolvimento das civilizaA�A�es, A� prA?ximo ao leito dos rios que as comunidades seA�agasalham, se desenvolvem e reproduzem. Ao redor daquele encontro, se misturam e seA�misturaram um resumo do que A� a regiA?o.

A A?rea de confluA?ncia dos rios Negro e SolimA�es testemunha o encontro a��A�e oA�desencontro a��A�entre povos em diferentes momentos no passado. As peA�as arqueolA?gicasA�exibidas na exposiA�A?o foram encontradas nos arredores da regiA?o onde acontece o encontroA�das A?guas, e demonstram a presenA�a humana na AmazA?nia hA? mais de nove mil anos, muitoA�antes do que os cientistas pensavam atA� entA?o.

Mas hA? mais para se conhecer do encontro das A?guas: a riqueza da vida aquA?tica,A�representada por peixes como jaraquis, sarapA?s e poraquA?s, e por macrA?fitas, vegetais que seA�encarregam de levar a vida microscA?pica entre um rio e outro; a riqueza da vida indA�gena naA�Manaus de hoje e sua visA?o do simbolismo do encontro das A?guas.

A primeira montagem da exposiA�A?o foi no stand do Musa no evento da 61A? ReuniA?o Anual da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da CiA?ncia), realizada de 12 a 17 de julho de 2009 no campus da UFAM na cidade de Manaus, Amazonas.

CatA?logo da exposiA�A?o